Los Toperas

Jornalismo, videogames e seres abjetos

14 junho 2005

Onde estaremos em 2005 ?

TRÊS TENDÊNCIAS NO FILME THX 1138 QUE JÁ FAZEM PARTE DO NOSSO COTIDIANO

Produzido em 1971, o filme THX 1138 apresenta a visão de George Lucas de um futuro distante. Algumas tendências apontadas na produção cinematográfica já fazem parte de nosso cotidiano. Uma delas é o consumo padronizado. Os humanos não possuem nomes ou apelidos, apenas são identificados por letras e números. Todos recebem a mesma cota diária de alimentos e drogas necessárias para terem o mesmo comportamento, mantendo o equilíbrio da sociedade. Nos dias atuais, a supressão da individualidade se torna cada vez mais comum. O perfil de um consumidor é substituído por um perfil de um grupo com interesses semelhantes, como é freqüente em comunidades e grupos de discussão na Internet.

Outra tendência é a monitoração através de câmeras que vigiam o público e o privado. Enquanto o protagonista THX-1138 tinha uma relação amorosa com a fêmea LUH-3417, algumas pessoas assistiam as imagens captadas pela câmera. Atualmente, as atividades rotineiras de um indivíduo em sua residência podem ser vistas na Internet, por meio de webcams. O mesmo acontece em programas de grande sucesso na televisão, como o Big Brother Brasil, reality show da Rede Globo.

O uso da TV como escape da repressão também se confirmou nos tempos atuais. No filme, THX 1138 assistia imagens que o estimulavam sexualmente, como tentativa de aliviar a agonia sofrida naquela cidade controlada pelo estado manipulador. O que se vê normalmente na televisão é uma programação apelativa, com sexo e violência, em detrimento da educação e cultura. Na maioria das vezes, o telespectador utiliza o aparelho para se entreter, relaxar e descansar das horas de trabalho.

ANÁLISE CRÍTICA DO FILME THX 1138

O primeiro filme de George Lucas, THX 1138, apresenta uma cidade futurista monitorada por computadores. O ambiente é constituído por formas chapadas e brancas, um cenário sem vida e sem cor. Os monitores das máquinas, com telas pretas e letras verdes, lembram muito os modelos monocromáticos da década de 70. Algo muito diferente do que ocorre com os aparelhos atuais.

A metrópole desempenha um controle social sobre os habitantes, estes que não possuem nomes e são identificadas por letras e números, através de mensagens subliminares, rações com tranqüilizantes e manipulação de informações. O estado e a igreja não são divididos e exercem sua influência por meio de confessionários virtuais. Câmeras vigiam as atividades dos indivíduos, mas as imagens possuem uma resolução muito baixa se comparada com o padrão de qualidade que se pode ter hoje em dia.

É notável a influência de obras similares como “1984”, “Além do mundo novo” e “Buck Rogers”, sendo que a este último há uma referência direta logo no início da produção cinematográfica. Essa alusão se manifesta através de uma TV, que exibe cenas de Buck Rogers.


TRÊS TENDÊNCIAS NO TEXTO DE FERNANDO VILELA QUE JÁ FAZEM PARTE DO NOSSO COTIDIANO

Fernando Vilela aponta em seu texto tendências de evolução da tecnologia. Dentre estas tendências podemos destacar a do uso da banda larga (broadband).

Hoje em dia, grande parte dos computadores, tanto para negócios quanto pessoais, faz uso deste tipo de aparato. A conexão em banda larga deste já está em tal ponto de desenvolvimento que o usuário pode optar por alguns tipos de acesso como, por exemplo, a cabo, por ondas de rádio e até satélite.

Outra tendência que vem ganhando força ultimamente é o do uso de aparelhos com tecnologia de conexão sem fio (wireless). Apesar de ainda não tão difundidas quanto as conexões de banda larga, as sem fio já vem despontando no horizonte como uma das principais funções de novos aparelhos eletrônicos. Este tipo de acesso permitirá não só a conexão com a Internet como também a comunicação e troca de dados como outros aparelhos de forma rápida e prática.

Atualmente, celulares fazem uso amplo deste tipo de tecnologia. No futuro próximo, videogames, computadores e, talvez, até televisores virão equipados com o aparato wireless.

Por fim, Vilela elucida o fato de que o próximo passo da evolução humana deve ser dado com apoio maciço da tecnologia. Ele aponta que um dos campos mais favorecidos pelo avanço dos aparelhos eletrônicos é o da engenharia genética.

Assim, a pesquisa sobre células-tronco é um ótimo exemplo desta associação entre ciência e tecnologia. Este estudo representa um grande passo no que se refere a tratamentos médicos e só foi possível de ser feito graças ao avanço tecnológico.


ANÁLISE CRÍTICA DO TEXTO DE FERNANDO VILELA

O texto de Fernando Vilela traça um panorama geral de como a Internet é usada e acessada atualmente. Por ter menos de cinco anos, o texto apresenta-se muito atual, apontando tendências novas no mundo da tecnologia.

Na grande maioria de suas afirmações, ele é muito consciente do que fala, não permitindo-se grandes devaneios quanto ao futuro da Internet.

Quando comentando as seis, melhor dizendo, cinco propostas de Ítalo Calvino, Vilela é breve e conciso, além de bem explicativo, colocando até links de sites que exemplificam os conceitos que está citando.

Define depois uma espécie de infra-estrutura básica da Web. Apesar de parecer uma explicação muito simplista, as idéias são convincentes.

Apenas na parte final do texto Fernando Vilela explora as possibilidades do avanço tecnológico. Mostra ali seu ponto de vista de que a tecnologia deve futuramente estreitar cada vez mais os laços de união com a ciência. Esta parte do artigo destoa do todo por parecer um pouco menos fincada realidade do que as outras afirmações, tornando os comentários de Vilela um pouco menos claros.

Grupo: Alexei Barros, Claudio Prandoni, Fernando Chiari, Gustavo Hitzschky - 3 º JO B